Mitologia Nórdica

Deuses, Deusas e a Cosmologia da Mitologia Nórdica

Originada dos povos nórdicos (povos germânicos do norte) a mitologia nórdica é um conjunto de mitos com raízes no paganismo nórdico e que continuaram após a cristianização da Escandinávia e se solidificaram no folclore escandinavo moderno.

Ela consiste de diversos contos sobre várias divindades, seres e heróis derivados de inúmeras fontes de antes e depois do período pagão, incluindo manuscritos medievais, representações arqueológicas e tradição popular transmitida oralmente entre seus descendentes.

A maioria das fontes escritas foram reunidas pelos povos escandinavos que se estabeleceram na Islândia. A mitologia do povo da Escandinávia não é constituída somente de deuses, deusas e imortais, mas também uma infinidade de outros personagens e criaturas que povoam as histórias, incluindo gigantes, anões, monstros, animais mágicos e objetos mágicos.

 

Deuses Nórdicos

Os deuses nórdicos são os personagens mitológicos que vieram das tribos germânicas do norte, na escandinávia, no século IX. Essas histórias foram transmitidas sob a forma de poesia até os séculos XI e XVIII, quando os Eddas e outros textos medievais foram escritos.

Eles são divididos em duas tribos: Aesir e Vanir. Os deuses Aesir vivem na fortaleza celestial chamada Asgard e eles são responsáveis por manter a ordem no cosmos. Já os Deuses Vanir estão mais associados ao “mundo natural”, e sua casa é Vanaheim – um dos nove mundos.

Entre os principais desues nórdicos destaca-se:

Deus Heimdallr com Gjallar

 

Deus Thor

thor com martelo

Conhecido como deus do trovão é considerado o protetor de todos em Midgard com o poder de seu martelo Mjölnir. Cavalga em sua carruagem de guerra puxada por Tanngniost e Tanngrisnir. Thor além de representar força, poder e o trovão, tem um temperamento bem-humorado, porém descuidado, mas sempre pronto para aventuras.

Ele geralmente é retratado como um homem grande e poderoso com uma barba vermelha e olhos de relâmpagos. Apesar de sua aparência feroz, ele superou seu pai Odin em popularidade porque, ao contrário de Odin, ele não exigiu sacrifícios humanos. Os nórdicos acreditavam que, durante uma tempestade, Thor percorria os céus em sua carruagem e ele criava relâmpagos quando jogava seu martelo Mjollnir.

 

Deus Odin

Odin -Georg von Rosen (1886)

Odin é retratado usando um cajado e um chapéu flexível e um manto azul-cinza e vive em Valaskjalf, que fica em Asgard. Ele pode viajar para qualquer um dos reinos nos nove mundos. Com a ajuda de seus dois corvos, Huginn e Munin, ele recebe notícias diariamente sobre tudo o que acontece em Midgard. Está relacionado com mágica, sabedoria e aprendizado e consegue falar com os mortos para questionar o mais sábio entre eles.

É muito conhecido por não ter um olho, o qual foi sacrificado no poço Mimir para ganhar conhecimento interno e mais tarde foi pendurado na árvore da vida Yggdrasil para adquirir o conhecimento e os poderes das runas mágicas.

 

Deus Týr

Deus Tyr na Mitologia Nórdica

É o mais bravo de todos os deuses nórdicos, o deus da guerra, que perdeu sua mão que foi devorado pelo lobo Fenrir. Týr está muito relacionado com a runa Teiwaz, já que seu nome deriva de “Tiw” ou “Tiwaz”. Há algumas evidencias mostrando que ele era um dos deuses mais importantes, antes de Odin ser o mais importante.

Ele não está somente relacionado a guerra, de fato, seu principal papel parece ser de defensor da lei e da justiça.

 

Deusas Nórdicas

Chamadas de Asynjur, viviam junto com os Aesir em Asgard. O papel das deusas nos mitos escandinavos reflete a sociedade matriarcal que eles se originam. Embora houvesse sacerdotes masculinos que serviam aos deuses, eram as mulheres que eram consideradas como possuidoras de habilidades psíquicas naturais e desempenhavam o papel de videntes em suas tribos.

Entre as deusas mais famosas, se destaca:

 

Deusa Freya

Pintura de Freya

Considerada ser a deusa da beleza e do amor, mas também uma deusa guerreira e possuidora de muita sabedoria e habilidades mágicas. Muitas tribos a veneravam muito mais que os Aesir.

Freya é conhecida como a rainha das valquírias, e é ela quem escolhe quem irá para Valhalla após morrer em uma batalha. Ela sempre usa um colar chamado Brisingamen, que ela recebeu em pagamento ao passar uma noite com os anões.

 

Deusa Frigga

Deusa Frigga na Mitologia Nórdica

Deusa considerada a mãe de todos por ser casada com Odin, e é a protetora de todas as crianças. Tem diversos poderes, que entre eles pode se destacar a habilidade de prever o futuro. Algumas pessoas a confundem com Freya, porém as fontes mostram que elas eram duas figuras distintas durante a Era Viking. Mas quando os textos foram escritos estas duas deusas que antes eram a mesma divindade, ainda eram praticamente a mesma personagem e só se diferenciavam pelo nome.

 

 

 

 

 

 

Antes de os nórdicos  serem convertidos ao cristianismo durante a Idade Média, eles tinham sua própria religião pagã nativa e vibrante que era tão áspera como a paisagem nórdica à qual estava intimamente ligados. A peça central da religião nórdica é o que hoje chamamos de “Mitologia Nórdica”, o conjunto de histórias religiosas que dá sentido à vida dos Vikings. Esses mitos giravam em torno de deuses, deusas e gigantes com personagens fascinantes e altamente complexos, como os Deuses Nórdicos Odin, Thor, Freya e Loki. E as Deusas Nórdicas Freya, Frigg, e Idun.

 

Mitologia Nórdica

 

A religião nórdica nunca teve um verdadeiro nome – aqueles que praticavam isso apenas chamavam de “tradição”. No entanto, as pessoas que continuavam a seguir os antigos caminhos após a chegada do cristianismo, às vezes eram chamadas de “pagãos”, que originalmente significavam simplesmente pessoas que vivem nas aldeias em qualquer lugar no campo.

 

 

As religiões são tentativas da humanidade de alcançar o numinoso, e a religião nórdica, é claro, não é exceção. Ela forneceu um meio de fazer isso que era adequado para o tempo e lugar dos Vikings. Mesmo que alguns aspectos dele possam surpreender o leitor moderno, se os abordarmos com a mente aberta que merece, podemos reconhecer dentro dele a busca humana comum de viver a vida na presença da majestade transcendente e alegria do sagrado. E apesar de ter passado mil anos desde que os últimos vikings lançaram suas espadas, as pessoas hoje continuam inspiradas pela vitalidade e inspiração dos mitos nórdicos e dos deuses que os habitam.

A mitologia nórdica é politeísta, o que significa adorar em deuses e deusas múltiplos. Os vikings acreditavam que existem dois ramos de deuses, o Æsir e o Vanir, mas também acreditavam em outros seres místicos, como gigantes, anões, elfos e outras criaturas.

Entre estes poderosos seres podem se destacar Odin, o chefe dos Aesir, casou-se com Frigg, a rainha de Asgard. Ou o Thor,o Deus Nórdico do Trovão e o protetor de Midgard, e do mundo do homem. Loki com seus truques para irritar o Aesir, entre outros.

Estátua Viking em Bergen na Noruega
Estátua Viking em Bergen na Noruega

Os Vikings vieram da Dinamarca, da Noruega e da Suécia na Escandinávia. Alguns dos Vikings adoravam explorar e, como eles tinham a tecnologia mais avançada em construção naval, podiam viajar mais rápido e mais longe do que qualquer outro povo da época.

Assim, os vikings se estabeleceram por toda a Europa, em países como Inglaterra, França, Alemanha e Ucrânia, mas também mais longe, como na Islândia, nas Ilhas Faroenses e na Gronelândia. Eles até chegaram aonde hoje é Terra Nova no Canadá, para fazer um acordo que eles chamaram de Vinland.

Os Vikings não utilizavam papel e a maioria de suas escritas foram encontradas em pedras, couro, jóias e armas. Sua história e cultura só foram transmitidas oralmente através de histórias (conhecidas como sagas) e poemas. Isso significa que muita parte do conhecimendo dos Vikings foi perdido desde a Era Viking. Até que o historiador, poeta e político islandês Snorri Sturluson decidiu reunir o máximo que pudesse e escrever tudo em um livro que ele chamou O Edda (1220-1230).

Assim como os cristãos demonizaram os Vikings durante a Era Viking, a mídia hoje não faz muito diferente. Os vikings eram muito mais do que apenas guerreiros sanguinários do norte. Os vikings não eram apenas exploradores e guerreiros, mas também fazendeiros, comerciantes, poetas e músicos. Eles eram muito criativos e faziam arte e tinham habilidades superiores de construção naval em comparação com o resto do mundo.

 

A mitologia nórdica, que é uma verdadeira religião para muitas pessoas em todo o mundo, não é apenas alguns mitos ou histórias. Na Islândia, eles costumam chamá-lo de Ásatrú, na Dinamarca, eles também chamam de Ásatrú ou Ásatrú e Vanatrú. Também deve-se dizer que, mesmo para os Vikings, houve variações na fé dependendo de onde você morava. Alguns dos vikings começaram a se converter ao cristianismo depois de explorar e atacar a costa da Inglaterra e da França, e no final da era viking, quase todos na Escandinávia eram cristãos.

Simbolo Vegvisir
Simbolo Vegvisir

Os vikings eram encantados pelo mundo em que viviam – isto é, eles não sentiram a necessidade de buscar a salvação do mundo, ao invés disto, ficavam maravilhados e encantados com “a maneira como são”, incluindo o que hoje chamamos de “natureza” e a “cultura”. Sua religião e mitos não revestiam a sordidez, a briga e a injustiça da vida terrena, mas reconheceu e elogiou a tentativa de dominá-la através da realização de grandes atos para o benefício de si mesmo e das pessoas próximas. Uma vida cheia de tais ações era classificada como “a boa vida” para os Vikings.

Nós da Mitologia-Nordica.net desejamos a todos uma boa leitura, criamos esta plataforma para que você possa se imergir neste incrível mundo da Mitologia.